Sócio de empresa inativa tem direito a seguro-desemprego.

28.03.2018

 

A juíza Federal Ana Beatriz Palumbo, da 20ª vara Federal de Curitiba/PR, condenou a União e a Caixa Econômica Federal – CEF a pagarem as parcelas do seguro-desemprego a um homem que teve o benefício negado por ser sócio de uma empresa.

 

O homem foi demitido por justa causa em 2015 e, em razão da dispensa, requereu a concessão do benefício junto ao Ministério do Trabalho. O pedido, no entanto, foi negado, em virtude de o reclamante ser sócio de uma empresa pela qual poderia obter renda própria.

 

O homem ingressou na Justiça contra a CEF e a União pleiteando a concessão do benefício. Na inicial, o trabalhador alegou ter direito ao recebimento do seguro por causa de sua dispensa.

 

Ao julgar o caso, a juíza Federal Ana Beatriz Palumbo considerou que o autor integra o quadro societário de uma empresa inativa, não recebendo qualquer renda oriunda da pessoa jurídica em questão.

 

A magistrada entendeu que a inatividade da empresa comprovava que o emprego do qual o trabalhador foi demitido era a sua única fonte de renda, fazendo com que ele se enquadrasse nos requisitos legais necessários para ter direito ao benefício.

 

Com esse entendimento, a juíza condenou a Caixa e a União ao pagamento das parcelas de seguro-desemprego

ao autor com correção monetária e juros moratórios a serem contados desde a data da citação.

 

O autor foi representado na causa pela advogada Claudia Gonçalves, do escritório Engel Rubel Advogados.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaques

Funcionária que teve contrato suspenso por 60 dias sem acordo prévio será reintegrada

15.04.2020

1/10
Please reload

Recentes
Please reload

Arquivo